View all AI news articles

As complexidades da lei de direitos autorais e da IA: The New York Times versus OpenAI e Microsoft

February 27, 2024

Resumo

  • Plano de fundo: O New York Times processa a OpenAI e a Microsoft por usarem seus artigos no treinamento de IA.
  • O núcleo do processo judicial: Alegações de violação de direitos autorais e impacto na receita do The New York Times.
  • Posição dos réus: A OpenAI afirma o uso justo no treinamento de modelos de IA.
  • Contexto mais amplo: Implicações para a IA no marketing e na criação de conteúdo.
  • IA generativa e direitos autorais: Debate sobre compensação justa e opinião pública.

Antecedentes do caso

Em uma batalha legal histórica, o The New York Times iniciou uma ação judicial contra a OpenAI, criadora do ChatGPT, e a Microsoft, alegando que esses gigantes da tecnologia usaram ilegalmente os artigos do jornal para treinar seus modelos de IA sem permissão. Este caso, apresentado no Tribunal Distrital dos EUA, Distrito Sul de Nova York (Processo nº 23-11195), não é apenas uma questão de violação de direitos autorais, mas aborda as implicações mais amplas da IA e dos direitos de propriedade intelectual.

O cerne da ação judicial

A reclamação do New York Times está enraizada na acusação de que a OpenAI e a Microsoft aproveitaram seu extenso trabalho jornalístico, incluindo uma série vencedora do Prêmio Pulitzer e vários outros artigos, para aprimorar seus chatbots de IA. Essa prática, argumenta o jornal, não apenas constitui violação de direitos autorais, mas também diminui o valor percebido de seu site, potencialmente impactando suas receitas de publicidade e assinatura.

A posição dos réus

A OpenAI, por sua vez, afirmou que o processo não tem fundamento. Em sua resposta pública, a empresa afirma que o treinamento de modelos de IA usando dados disponíveis publicamente, como artigos do The New York Times, é um uso justo do material. A OpenAI também afirma que casos de regurgitação de dados de treinamento por seus modelos de IA são improváveis, especialmente quando os dados vêm de uma única fonte, como o The New York Times.

O contexto mais amplo

A perspectiva do setor de IA

A defesa da OpenAI e da Microsoft se baseia principalmente no argumento do “uso justo”, um conceito que sugere que a transformação do conteúdo por meio do treinamento em IA não é uma violação direta dos direitos autorais. No entanto, o The New York Times forneceu evidências de reproduções quase textuais de seu conteúdo pelo ChatGPT, desafiando essa defesa.

Implicações para profissionais de marketing

Esse caso tem implicações significativas para os profissionais de marketing, especialmente aqueles que dependem da IA para a criação de conteúdo. Ferramentas como o ChatSpot da HubSpot, desenvolvido pelo ChatGPT, podem ser afetadas se os demandantes tiverem sucesso, ressaltando a incerteza em torno do uso de grandes modelos de linguagem em marketing e outros setores.

O debate sobre IA generativa e direitos autorais

Contratos de receita e licenciamento da OpenAI

Embora a receita anualizada da OpenAI seja supostamente de cerca de $1,6 bilhão, seus contratos de licenciamento com agências de notícias para treinar modelos de IA são relativamente modestos, oferecendo entre $1 milhão e $5 milhões por ano. Essa disparidade levanta questões sobre a compensação justa pelo uso de material protegido por direitos autorais no treinamento de IA.

A opinião pública

Uma pesquisa recente do AI Policy Institute indica que a maioria do público acredita que as empresas de IA não deveriam ter permissão para usar o conteúdo do editor para treinamento de modelos sem compensação. Esse sentimento reflete as crescentes preocupações com as estruturas éticas e legais que regem a IA e os materiais protegidos por direitos autorais.

Observações finais

O caso do New York Times versus OpenAI e Microsoft exemplifica a complexa interseção entre a tecnologia de IA e a lei de direitos autorais. À medida que os procedimentos legais se desenrolam, os resultados provavelmente terão consequências de longo alcance para o setor de IA, criadores de conteúdo e consumidores. O debate sobre o uso justo de material protegido por direitos autorais no treinamento de IA deve moldar o futuro do desenvolvimento da IA e suas implicações éticas.

Recent articles

View all articles